Como passar em concurso trabalhando

É interessante pensar em como passar em concurso. Para mim, mais interessante ainda é pensar em como eu passei em vários dos concursos que fiz. Para o concurso da Caixa me dediquei por exatamente uma semana e no concurso do Senado eu passei mesmo trabalhando mais de oito horas por dia.

Hoje resolvi contar em detalhes como conquistei uma das mais desejadas vagas do país em concursos. E logo você vai perceber que o meu jeito de como passar em concurso pode também ser o seu caminho. Claro que adaptações são necessárias e o perfil de cada cargo exige uma preparação específica. Mas devo dizer que o cargo no qual fui aprovada é um dos topos da carreira pública.

O cargo de Analista Legislativo do Senado Federal é considerado por muitos como um dos mais importantes de nível superior no país. Eu passei em 2008 e pode achar lá o meu nome, Mariana Miranda Tavares. E passei enfrentando uma concorrência próxima de 600 candidatos por vaga. Essencialmente, no universo dos concursos, o de Analista do Senado só perde em importância para Analista de Controle Externo do TCU e Consultor Legislativo. Em termos de salário o nível é equivalente ao analista de controle externo, delegado da polícia federal e à diplomacia. Quando conquista funções e chefias um analista legislativo pode ganhar o equivalente a um juiz ou médico já no fim da carreira.

Eu passei no concurso que é o sonho de muita gente boa que está se dedicando aos concursos. E fiz isso vivendo a realidade da maioria das pessoas que encaram esse desafio. Talvez até você esteja vivendo a assustadora realidade de entender como passar em concurso mesmo tendo uma cansativa jornada diária de trabalho.

graduation-149646_960_720-300x238

Passar em concursos é possível.

Como passar em concurso: uma questão de escolha

Na hora de saber como passar em concurso tudo começa pelas escolhas. No meu caso, por exemplo, algumas escolhas ainda no edital foram essenciais para o resultado positivo. Dentre vários cargos que eu poderia encarar na prova, escolhi aquele da minha formação universitária. Com isso muito estudo foi poupado e pude direcionar melhor as minhas energias.

Também sempre atuei na área, o que me garantia conhecimento prático e facilidade na hora de resolver exercícios. Esse conhecimento também torna a hora da prova um pouco mais fácil ao nos trazer mais confiança. É verdade que quando pensamos em como passar em concurso temos que evitar o famoso excesso de autoconfiança. Mas ter um pouco mais de segurança também ajuda bastante.

Por isso busque focar suas escolhas naquilo que tem maior conhecimento e/ou afinidade. Isso certamente será importante na hora da aprovação. A escolha do seu concurso deve respeitar quem você é e o que gosta de fazer. Tudo isso ajudará muito nos estudos, na prova e principalmente no trabalho mesmo. Você deve se lembrar que estamos falando aqui de quem estuda e trabalha, portanto aproveitar melhor suas possibilidades é essencial.

A importância de respeitar a hora dos estudos

Além de escolher bem o que fazer, o caminho de como passar em concurso envolve ainda um outro ponto importante: escolher se o momento ideal para se dedicar chegou. Sim, muitas vezes começamos a estudar e nos damos conta de que existem outras prioridades, como por exemplo conquistar a sonhada chefia, ou organizar o casório. Talvez até ainda se formar. Por isso, tenha certeza de que aquele será o momento do concurso. Isso certamente direcionará melhor o seu foco para os estudos.

Com isso em mente e a certeza do momento certo, tenha clareza de sua disponibilidade. A verdade é que, assim como várias outras coisas na vida, estudar é um hábito. E hábitos a gente constrói e mantém para garantir os resultados. Assim, você deve gerenciar muito bem seu tempo e garantir que terá um mínimo de horas para se dedicar aos estudos.

Trabalhar e estudar para concursos ao mesmo tempo não é brincadeira. E aqui vamos ser sinceros: de nada adiante dedicar dez horas por dia aos livros e não conseguir dormir. Se você deve trabalhar por oito horas diárias, dormir pelo menos seis horas, se alimentar e outras coisas cotidianas com mais quatro horas diárias e você só terá o máximo de seis horas para estudar. Tenha clareza de quanto tempo dispõe e coragem para assumir isso.

Como eu distribuí meu tempo e passei no Senado

Quando resolvi ser servidora do Senado eu tinha exatamente sete meses de tempo até a prova. Eu soube no fim de março/começo de abril que sairia o concurso do Senado Federal, decidi que faria a prova e passaria. Eu tinha pouco tempo e precisava focar bem em como passar em concurso.

Eu tinha um objetivo muito claro: precisava do salário para mudar minha vida e trazer quem eu amava para morar em Brasília. Objetivo certo, eu tinha agora que saber como estudar. Ao mesmo tempo que isso acontecia eu era promovida na Caixa e precisava dessa promoção. Eu assumiria a coordenação da equipe enquanto a chefe ficava em licença-prêmio. Seriam quatro meses de chefia e trabalho dobrado.

A jornada na Caixa passava das dez horas diárias mas isso não mudou o rumo das coisas e trabalhei bastante em algo importante: dividi primeiro o tempo total até a prova, faltavam sete meses e não tínhamos edital. Decidi que faria um cursinho a partir de junho e resolvi então distribuir meu tempo de 24 horas diárias mais ou menos como abaixo:

graph-300x232

Exemplo de como pode distribuir seu tempo diário

Eu estudava meia hora durante o almoço e mais duas horas e meia em casa antes de dormir. Foi assim durante três meses, de abril a julho quando me matriculei em um cursinho e transferi os estudos noturnos para as aulas. Foi assim mais um mês até o edital sair e mudar tudo de novo. Mas o tempo dedicado aos estudos sempre foi sagrado. Tornei minha dedicação um hábito e isso me levou à aprovação.

Quando e porque mudar o rumo dos estudos

Muitas vezes, ao longo da sua jornada concurseira  você vai perceber uma necessidade de mudar os rumos. isso faz parte do processo de como passar em concurso e da nossa jornada. Pode ser a necessidade de mudar os horários de estudo. Outras vezes a necessidade de mudar o foco principal ou até de mudar o concurso dos sonhos. As mudanças são necessárias e até saudáveis na maior parte das vezes. E você não precisa ter medo delas. No meu caminho até a nomeação no Senado mudei minha jornada em alguns instantes. Vou focar aqui antes da prova que é o que interessa.

Quando comecei meus estudos foquei boa parte dele em direito administrativo, regimento interno e processo legislativo. Eu tinha que estar preparada nessas áreas. No segundo bloco foquei redação, português e constitucional. Na rebarba ficava atualidades, comunicação e inglês nessa ordem. Quando o edital saiu, uma surpresa: administrativo, constitucional, processo legislativo e regimentos se juntariam a raciocínio lógico e atualidades nas dez questões de conhecimentos básicos. Eu poderia até dizer que foram três meses jogados fora, mas a verdade é que com isso ficou claro perceber que eu só precisaria de cinco questões de tudo isso. Larguei tudo de lado e mudei o rumo dos estudos.

A mudança de rumo se mostrou bem positiva pois o que mais pesava era justamente o que eu tinha mais conhecimento e facilidade: comunicação, publicidade, artes gráficas, português, inglês e espanhol. Isso aumentou meu ânimo. Decidi focar nos fins de semana e me dediquei a fazer 40 horas semanais de estudo. E essa dica é essencial: estude de acordo com a sua jornada de trabalho futura. Se o seu concurso será de 30 horas de trabalho semanais, dedique-se 30 horas semanais. mesmo para 40 horas ou 42 horas. Vai por mim que essa tática funciona.

child-1529218_960_720-300x131Como montar a planilha de estudos

Decidida a passar fui então construir minha planilha de estudos. Foquei em cinco princípios básicos de como passar em concurso:

  • Dediquei a maior parte do tempo às matérias mais importantes – primeiro as que eu tinha menor conhecimento e depois as que eu tinha maior domínio;
  • Dediquei a maior parte do tempo aos exercícios – eles são a chave da evolução de quem consegue a aprovação rapidamente;
  • Aproveitei uma mesma matéria estudando coisas diferentes – aproveite redação para estudar atualidades, específicas e português por exemplo;
  • Fiz grande uso de minhas próprias palavras – criei resumos, esquemas e exercícios sempre ampliando minha capacidade de compreensão;
  • Respeitei todos os tempos e limites impostos – foque e evite ir além nos estudos.

Eram quatro horas de cursinho, uma prova e duas redações por semana. Eu me dediquei totalmente nos três meses que faltavam para a prova. Aproveitei uma oportunidade e tirei 15 dias de férias antes da prova para o sprint final. As 40 horas semanais foram divididas em cinco horas por dia de semana, dez horas nos sábados e seis horas nos domingos. Nas noites de sábado eu relaxava. Todo domingo fazia uma prova como se fosse o concurso. Saía do trabalho 19h30 e estudava das 20h até uma e meia da manhã com intervalo para jantar.

Na hora de estudar focava uma matéria por 55 minutos. Parava cinco minutos e recomeçava com outra matéria. Essa é outra dica importante: divida seu tempo de estudos como as aulas do colégio. Se você puxar na memória, perceberá que tem mais conhecimento guardado daquele tempo do que do cursinho ou faculdade que concentram uma disciplina por período. O motivo é simples: nosso cérebro é preparado para manter foco e atenção máxima por 90 minutos. Depois, perdemos gradualmente esse foco. Esse é o motivo pelo qual a lei obriga motoristas profissionais a descansar a cada três horas.

283192_223943057646837_5865951_n-300x224

Atualmente esse é o meu local de trabalho. A realização de um sonho

Conclusão

A verdade é que sempre tive certeza de que a minha jornada concurseira não seria fácil. Mas a decisão de descobrir como passar em concurso estava na minha alma. Cada vez que eu pensava em desistir, o amor falava mais alto. Eu foquei na chave da motivação, o que realmente guiava o meu caminho era o meu objetivo de ser feliz com quem eu amava. A minha certeza ia aos poucos se tornando energia. Mesmo com a prova complicada, com uma chefia nas costas, com um namoro à distância, eu tinha um caminho traçado.

A verdade é que cada passo desse processo foi planejado. Eu tinha uma meta semanal de exercícios, leitura e resumos a cumprir. Fazia sempre uma prova e duas redações por semana. Distribui, em todas as esferas, o meu tempo da melhor forma para evitar ter que abrir mão dos estudos. Compartilhei com família e amigos o desejo e deixei claro que minha disponibilidade diminuiria até a prova. Concentrei maior volume de estudos nos meses após o edital e antes foquei mais naquilo que não conhecia tanto. Estudei como nos tempos de colégio focando em exercícios e em traduzir tudo com minhas próprias palavras.

O resultado final foi a aprovação no concurso do Senado Federal, um dos mais difíceis do país. E consegui isso em apenas seis meses, chefiando uma equipe e trabalhando muito todos os dias. Uma realidade comum a tanta gente. Uma realidade que você também pode vivenciar. Foque, planeje e conquiste seus melhores resultados. Tenha certeza de que o melhor ainda está por vir.

E se quiser mais detalhes sobre como montar sua planilha e dividir adequadamente seu tempo de estudos exatamente como eu fiz, veja nosso e-book gratuito Força para Estudar. Tenho certeza que ele vai lhe ajudar ainda mais a alcançar logo seu objetivo.

Ahhh, se quiser saber, eu casei no ano passado. Tudo como planejado.

Compartilhe sem medo da concorrência
follow_subscribe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.