Como estudar para concurso: cursinho ou sozinho

Você decidiu encarar e começou a estudar para concurso. Já até decidiu que prova vai fazer e já começou a pesquisar sobre editais e quando deve acontecer.

Mas sua cabeça logo trouxe uma nova preocupação: E agora que eu decidi estudar para concursos o que devo escolher: melhor pagar o cursinho mais top, encarar os melhores professores em aulas todos os dias ou estudar sozinho com o material que conseguir por aí?

Bem, não se preocupe, você não é o único concurseiro ET com essa dúvida. Pelo contrário, essa questão é muito comum, mas antes de responder sua pergunta existe algo importante a pensar: como você aprende melhor?

E é para responder a essa pergunta tão importante que fizemos esse artigo. Aqui vamos trazer as seguintes informações:

  • Os tipos de aprendiz que existem
  • Qual aprendiz é ideal para o cursinho
  • E o aprendiz que estuda sozinho
  • Como saber quem é você
  • E os meios oara aproveitar o melhor do cursinho e/ou de estudar sozinho

Que tipo de aprendiz você é

Antes de decidir o seu caminho, ele deve começar aqui! Saber qual o seu tipo de aprendiz é essencial na hora de estudar para concurso.

O jeito como você aprende melhor é diferente do jeito do resto do mundo. Alguns aprendem melhor assistindo aula, outros fazendo resumo, alguns lendo e outros ainda desenhando.

Como eu aprendo, e você?

Para explicar melhor o que quero dizer vou falar como eu aprendo:

Eu tenho boas habilidades com redação. Um exemplo disso é que no vestibular tirei nota máxima e se não fosse boa no assunto teria sido eliminada no concurso do Senado.

Também sempre me saí bem nas provas de língua portuguesa e tenho ótimas recordações de história, geografia, literatura, sociologia, filosofia e disciplinas teóricas em geral!

Se você prestar bastante atenção perceberá que todas essas matérias têm algo em comum: todas exigem muita leitura. Sim, eu adoro ler e tenho muita facilidade para aprender lendo, bem mais do que ouvindo.

Por isso, para mim, as aulas tradicionais de ouvir e prestar atenção não são, necessariamente, o melhor caminho para aprender.

Outra coisa que essas disciplinas têm em comum é a necessidade de grande capacidade de interpretação de texto e baixo teor de informações a serem decoradas.

Resumo disso tudo: piadinhas e brincadeiras que ajudam no decoreba também tem pouco impacto no meu aprendizado.

Até hoje lembro-me muita coisa da tabela periódica tão temida das aulas de química e se me perguntam como consigo lembrar, é simples, lembro da página do livro e depois da capa onde ela estava. E olha que meu professor era excelente!

Sobre meus tempos de vestibular

Nos tempos de vestibular tive uma turma inseparável de amigas e estudávamos sempre juntas. Eu lia pegava rápido a matéria e já passava para resumos e exercícios.

Outra amiga já não tinha tanto jeito para pegar a matéria lendo e fazia cursinho de todas as disciplinas. A minha dica para ela foi fundamental para a aprovação: leia menos, faça mais exercícios e monte esquemas e gráficos com o que vir nas aulas. Tudo isso ajudou a gravar as coisas.

O seu jeito de aprender

Para saber como estudar para concurso aproveitando melhor seu tempo é preciso se conhecer.

Muita gente tem um perfil menos leitor e mais audiovisual. São pessoas para quem as aulas podem ser fundamentais por trazerem a informação base das quais elas precisam.

Normalmente pessoas com esse perfil têm maior capacidade de concentração pontual nas coisas e conseguem aproveitar muito as aulas de um cursinho.

Para elas estudar sozinhas pode ser um verdadeiro suplício, uma luta inglória até.

Então é por isso que você precisa saber que tipo de aprendiz é. Como aprende melhor?

Você é mais leitura, mais escrita, mais som, mais imagem. Uma boa dica para descobrir é pegar um filme que tenha um livro da história e que você tenha lido esse livro.

De que jeito essa história foi mais forte e sensível em você? Você sentiu mais emoções lendo ou assistindo o filme? E o que mais chamou sua atenção foram as cenas imaginadas ou o som durante o filme?

Assim você rapidamente vai saber que tipo de aprendiz é.

O melhor caminho a escolher

E como escolher qual caminho seguir depois de descobrir que tipo de aprendiz eu sou?

Pois eu acredito que essa deve ser a pergunta que você está fazendo. Afinal, ela é a pergunta principal que todos se fazem desde o primeiro instante em que decidem estudar para concurso.

Na verdade, o modelo ideal mais adequado mistura alguns fatores cruciais: o seu perfil de estudante, como você aprende melhor e seus recursos disponíveis (tanto financeiros, como de tempo e condições).

Então, saiba que para escolher o caminho mais adequado nada melhor do que testar. Conheça os cursinhos disponíveis, faça aulas de teste e veja se vai se adaptar ao modelo.

Por outro lado passe alguns dias estudando em uma biblioteca. Assim, você vai poder ver qual modelo permite que você se sinta mais confortável.

Então, adeque esse modelo à sua verdadeira realidade e comece logo a colocar a mão na massa. O período de testes deve ser de no máximo duas semanas.

E para ajudar nesse trajeto trazemos aqui algumas explicações sobre os perfis.

O tal perfil para o cursinho

O típico caminho dos chamados concurseiros que se enfurnam nos cursinho é ideal para aqueles que têm maior facilidade no aprendizado audiovisual.

Também é bom pra estudantes com menor capacidade de adaptação, menos disciplina é maior disponibilidade financeira.

Os concursos mais generalistas são os mais bem adaptados pelos professores de cursinhos. No entanto existem também os cursinhos bem especializados para cargos muitos específicos como juízes, diplomatas etc.

Os cursinhos adequados a cada concurso apresentam características diferenciadas como duração, formato e estrutura definidos de acordo com o cargo e não com o edital.

E os mais comuns nesses moldes são para o Instituto Rio Branco (formação para diplomatas); para cargos da magistratura; e os cursinhos para o ministério público que focam apenas nas provas desses segmentos.

Já para aproveitar bem o cursinho, os alunos devem focar em dois pontos essenciais: o aproveitamento das aulas para tirar dúvidas e para levantar com os professores dicas e macetes para a prova.

Quem faz cursinho deve ainda aproveitar melhor o tempo fora da sala para fazer mais exercícios e simulados.

E o perfil para estudar sozinho

Já quem vai aproveitar melhor os estudos sozinho são as pessoas com perfil mais leitor e/ou que aprendem mais com resumos.

Também é comum quando os concurseiros possuem problemas financeiros acabam optando por estudar sozinho. E isso significa que nem sempre é o perfil de aprendizado que define.

Esse tipo de estudante costuma se sair melhor focando mais em estudos fora dos espaço dos cursinhos, optando por bibliotecas, em casa ou ainda em locais de fácil acesso para eles.

Também aproveitam muito o uso de transportes para ouvir aulas online ou ainda ler em transportes coletivos.

Para aproveitar melhor o estudo sozinho, devem levantar pela internet os materiais adequados para estudar bem, como por exemplo as matérias dos cursinhos.

Pessoas assim também podem se beneficiar da infinidade de aulas disponíveis atualmente na internet.

Como estudar aproveitando tudo

Uma boa proposta também é adotar um modelo intermediário com um pouco de estudo sozinho e um pouco com cursinho em períodos fixos – por exemplo, a cada seis meses.

Ou ainda um modelo que comece com um cursinho e depois evolua para que continue os estudos apenas sozinho.

Os modelos intermediários facilitam para que você consiga aproveitar o melhor dos dois mundos.

Abaixo mostro algumas possibilidades de modelos intermediários pra você ver se acredita que assim pode ser ainda melhor para o seu perfil.

  1. Alternância por períodos – X meses no cursinho e Y meses estudando sozinho;
  2. Fazer um cursinho mais completo para começar e depois seguir sozinho;
  3. Estudar sozinho a maior parte e escolher apenas disciplinas específicas no cursinho.

Cada um desses modelos apresenta os seus prós e contras a serem observados e considerados.

Conclusão

Concluindo, acredito que agora que você já viu várias possibilidades vai ser mais fácil escolher o seu caminho na hora de estudar para concurso.

Independente de qual será esse caminho você deve sempre aproveitar o que de melhor o outro lado pode lhe oferecer e aproveitar para um complementar o outro, como falamos em cada modelo.

Aproveite sempre o modelo escolhido para adequá-lo à sua necessidade e perfil. E entenda o principal: definir como estudar para concurso não deve modificar quem você é e o que você acredita.

Quando começamos nesse caminho é muito comum que sejamos bombardeados com nossos gurus dizendo mil dicas para a aprovação.

Mas a verdade é que uma dica só pode ser válida para você se tiver alinhada e adequada aos seus valores e ao seu perfil.

Por isso a excelente dica que você recebe pode não adiantar nada. Isso porque cada um possui um perfil diferente para os estudos e para o melhor caminho na aprendizagem.

Aqui também o segredo é se conhecer.

2 thoughts to “Como estudar para concurso: cursinho ou sozinho”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *