Concursos abertos: começar a estudar e não parar

E aí você já esta preocupado que não teremos mais concursos abertos? Viu e ouviu as notícias alarmantes dos últimos tempos dizendo que todos os concursos foram suspensos? Acredita que não teremos novos concursos abertos tão cedo?

Justo agora que você estava começando a pensar em pegar firme. Agora que iria mesmo se dedicar aos livros para alcançar aquela tão sonhada vaga, e ao ler tamanho disparate pensou: hora de sentar e chorar…

concursos-suspensos-jpg

Ou talvez você tenha algum amigo ou parente que trabalha no serviço público e que tenha lhe dito que não teremos concursos abertos por aí.

Então eu pergunto: você acredita em tudo o que aparece nos telejornais e notícias da internet? Você acredita que concursos só podem ser feitos se o país estiver às mil maravilhas? Você acha que o jogo pode ter as regras mudadas no meio da partida?

Pois esse post é prá você que respondeu sim a essas perguntas. Siga com a gente e descubra como nem tudo é o que parece.

É engraçado como todos sempre acham que ao trabalharmos em um lugar sabemos absolutamente tudo o que acontece e acontecerá por ali. Isso nem de longe é uma verdade absoluta.

No entanto também não se trata de um imenso absurdo. No geral quanto mais interessados e envolvidos nos projetos da instituição, maior é o nosso envolvimento nas suas próximas ações.

Nesse sentido, e tendo a informação de que sou servidora do Senado Federal, tenho um recado importantíssimo a todos que acompanham o nosso blog:

Procurando-Nemo-01Continuem a estudar, continuem a estudar, continuem a estudar…

Concursos abertos continuam

Sim, os concursos não acabaram e esse necessário momento de suspensão para a autorização de novos certames quer dizer apenas um breve intervalo. E frente aos desafios que virão para o serviço público veremos muitas provas e de concursos abertos!

Para fazê-los entender o porquê dessas minhas observações é importante eu lhes dizer porque estou falando isso. E isso tem a ver com nossa história.

Desde 1990, para se tornar um servidor público, é preciso passar em concurso de ampla concorrência e igualdade de condições. Essas determinações surgiram a partir da Constituição de 1988. E ainda foram estabelecidas em lei complementar, a famosa Lei 8.112/90, conhecida como regime jurídico único.

A lei que garante novos concursos

Essa lei, a famosa 8112, determinou algumas normas para acesso, exoneração e desligamento de servidores públicos federais. Além disso ela norteia as leis de acesso e gestão de servidores dos Estados e Municípios.

Além dessas normas, impacta também no serviço público a falada Lei de Responsabilidade Fiscal que estabelece limites orçamentários para dispêndio com pagamento de pessoal.

Esse conjunto de leis se alia às próprias necessidades observadas pela administração pública para realização de suas atividades. A verdade é que a necessidade de pessoal é algo presente e constante no serviço público ainda que em locais onde normalmente essa necessidade não é atendida e/ou respeitada.

Além da própria necessidade da administração também devemos observar o próprio fluxo de mudanças e rejuvenescimento do quadro funcional com o advento de aposentadorias e trocas necessárias ao bom andamento dos trabalhos.

integrac3a7c3a3o1A necessidade de novos servidores

Tudo isso mostra um quadro em que o funcionalismo público precisa de renovação quase constante. Essa é a razão pela qual ninguém deve ter medo de seus estudos serem em vão.

Em alguns momentos, para garantir o respeito à responsabilidade fiscal é necessária uma pausa nos novos certames. E o que isso significa na prática? Que podem ser realizados concursos já autorizados, com vagas existentes no quadro, em andamento ou ainda em fase de licitação.

Por isso é importante conhecer o que ainda virá. E trazemos aqui alguns dos concursos que serão abertos nos próximos dois anos:

  • Concursos autorizados até a data de publicação da suspensão podem ser realizados normalmente, desde que estejam contemplados em orçamento. Exemplos para esse caso:
    • Câmara dos Deputados,
    • Superior Tribunal de Justiça (STJ),
    • Tribunais Regionais Federais (cinco ao todo),
    • Tribunal Superior do Trabalho,
    • Ministério do Planejamento,
    • Ministério das Relações Exteriores,
    • Polícias Civis Estaduais,
    • Polícias Militares,
    • Bombeiros e muitos outros.
  • Concursos para atualização de quadro com vagas pré-existentes mesmo que não autorizados ainda, mas que poderão acontecer. Exemplos:
    • Professores da rede básica e universitária;
    • Saúde pública;
    • Empresas estatais, inclusive bancos públicos e Petrobrás;
    • Senado Federal,
    • Tribunais Superiores (em especial TSE e TST);
    • Receita Federal;
    • Tribunal de Contas da União e vários outros.

Conclusão

Se todos esses possíveis concursos abertos não forem motivo para vocês arregaçarem as mangas, sentarem na cadeira mais confortável e meterem bronca nos estudos, então sabe-se lá o que será.

Mas se ainda tem dúvida de que o ideal é continuar a estudar que tal saber que a grande parte de seus concorrentes resolveu parar. Sim, muitos pararam e quem continuar estará anos-luz à frente deles?

Normalmente o tempo necessário entre começar a estudar e ser aprovado é bem variável. A maior parte passa com um ano de estudo. E a verdade é que quando pegamos firme dificilmente esse tempo supera dois anos.

Momentos anteriores em que houve essa mesma suspensão ela não durou mais que um ano. Por isso, ao manter-se ativo nos estudos, você vai garantir que no momento certo estará no auge da sua preparação. Isso lhe dará  muito mais chances de aprovação.

Por isso, sem pestanejar digo: continue a estudar, continue a estudar, continue a estudar!!!

Foco-na-leitura

Saiba mais: http://concubras.com.br/concursos-suspensos-em-2016-sera-o-fim-dos-concursos-publicos

Direto do MPOG: http://www.planejamento.gov.br/assuntos/concursos/noticias/saiba-mais-sobre-a-medida-de-suspensao-dos-concursos-publicos-para-2016

One thought to “Concursos abertos: começar a estudar e não parar”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *