Passei no concurso da Caixa estudando apenas um fim de semana

Muita gente me pergunta como eu passei no concurso da Caixa em tão pouco tempo de estudo. Ou ainda, como passei estudando pouco?

Na verdade, não posso dizer que estudei pouco, mas concentrei esse estudo em pouco tempo.

Eu sei que só de falar que passei em um concurso estudando por apenas um fim de semana muita gente já fica com aquela sensação de que tem algo de estranho nessa história.

Mas a verdade é que eu, por acaso, tenho facilidade de estudar, de assimilar informações e de passar em provas. E também sei que essa facilidade vem de uma forte construção de base de conhecimentos.

Já falamos sobre isso antes aqui no blog. Isso é importante para entender como passei no concurso da Caixa estudando um mísero fim de semana.

Estudar compodcast é uma das novidades dos concursos
Facilidade de estudar pode ajudar

No entanto, mesmo com um histórico positivo e uma vantagem competitiva, é importante perceber que alguns outros fatores contribuem para a nossa aprovação. E isso, especialmente quando passamos em um concurso estudando tão pouco tempo.

Um único fim de semana para uma aprovação é para poucos mesmo. E não vou fingir modéstia e dizer o contrário. Então, se quer entender melhor isso, você precisa seguir aqui com a gente e saber mais sobre:

  • Como o tipo de prova e de concurso escolhido influencia nos seus resultados;
  • E também que a base de conhecimentos que você já possui ajuda na sua aprovação;
  • Ou ainda como aproveitar melhor esses fatores e acelerar sua nomeação.

Esses são os fatores importantes que considerei para conseguir aproveitar todas as possibilidades e garantir minha aprovação no concurso da Caixa. E tudo isso com apenas uma semana de estudos.

Como o tipo de prova e concurso ajudou quando passei no concurso da Caixa

Para começar, vamos falar de provas de concursos.

Você sabia que os tipos de prova de concurso são determinantes para sua aprovação? Também é verdade que não existe concurso fácil! Mas, também não existe concurso difícil.

O que existe é não estarmos ainda no nível desta ou daquela prova; ou na melhor das hipóteses estarmos em um nível acima!

Hora da prova

Provas escritas com questões subjetivas amplas são comuns em cargos que exigem alta capacidade analítica, como por exemplo os cargos de juiz. Já as provas com muitas questões e escolhas mais diretas como provas de certo e errado (na qual você tem apenas duas opções para escolher seu acerto) são mais direcionadas aos concursos mais concorridos.

E, por fim, temos as provas de múltipla escolha que costumam ser um pouco mais tranquilas de serem feitas e exigem um conhecimento mais direto e menos crítico.

E esse último tipo era exatamente a prova do concurso da Caixa. Então o tipo de prova já ajudou no resultado final.

O tipo de prova e o concurso ideal

A escolha de seu concurso deve considerar seu nível atual de preparação e de conhecimento acumulado. Pois é isso que no fim definirá se você tem ou não perfil para ser aprovado naquela prova.

Assim minha dica é: EVOLUA A QUANTIDADE E A QUALIDADE DOS ESTUDOS NA MESMA PROPORÇÃO EM QUE EVOLUI O NÍVEL DA PROVA.

E tem ainda outra dica valiosa: FAÇA TODAS AS PROVAS, ESTUDE DE TUDO UM POUCO E LOGO ENCONTRARÁ SEU CAMINHO, desde que não desista.

Isso porque quando fazemos prova não perdemos nada com isso. Fazer uma prova é o melhor jeito de aprender a fazê-las.

Como a base de conhecimentos me ajudou quando passei na Caixa

Bem, eu tenho boas habilidades com redação. E uma razão para eu achar isso é que no vestibular tirei nota máxima. No mais, se não fosse boa no assunto, teria sido eliminada no concurso do Senado.

Por exemplo, eu sempre me saí bem nas provas de língua portuguesa e tenho ótimas recordações de história, geografia, literatura, sociologia, filosofia e disciplinas teóricas em geral.

E se você prestar bastante atenção perceberá que todas essas matérias têm algo em comum. Todas exigem muita leitura.

O que eu gosto de estudar ajuda sempre

A verdade é essa: sim, eu adoro ler e tenho muita facilidade para aprender lendo, bem mais do que ouvindo. E isso foi essencial quando passei no concurso da Caixa.

A verdade é que para mim, aulas tradicionais não são o melhor caminho para o aprendizado. Costumo me dedicar mais a leitura do quê às aulas.

Esse é o meu como estudar melhor, a minha melhor forma de aprender. E quando passei no concurso da Caixa eu li em um fim de semana 200 páginas de uma apostila. E assim conquistei a sonhada vaga.

O jeito de estudar de cada um

O resumo do meu método de aprendizado é simples: piadinhas e brincadeiras que ajudam no decoreba têm pouco impacto no meu processo de assimilar e apreender a informação.

Até hoje eu me lembro muita coisa da tabela periódica, tão temida das aulas de química. E quando me perguntam como consigo lembrar, é simples minha resposta. A verdade é que eu lembro da página do livro e da capa onde ela estava. E olha que meu professor era excelente!

Como aproveitar melhor esses fatores e acelerar sua nomeação

Então, vale lembrar que eu já tinha uma boa base de conhecimentos e sabia disso. Para completar, lia com facilidade. Então foi só juntar os dois fatores em um fim de semana.

Para isso, foi fundamental saber que a prova da Caixa exigia certo grau de leitura, tinha uma prova de português que valia peso 2,5. Assim, o que eu precisava ajustar mesmo era a parte de matemática financeira, também com peso 2,5. Para isso li a apostila inteira e fiz exercícios.

E para não me cansar, resolvi não ler na apostila nada de português e focar apenas em matemática financeira e raciocínio lógico. Já os exercícios fiz de todas as matérias, o que me garantia conhecer como a prova funcionaria.

Como estudar também é importante

Quem lê muito acaba ajudado na parte de Atualidades e não me preocupei com ela também. Caprichei nos jornais e notícias de dois a três meses antes. Fiz exercícios de atualidades e português e lia direto a apostila por uma hora e estudava fazendo exercícios por uma hora e meia.

Para completar fiz um cursinho de revisão nas madrugadas do fim de semana anterior – duas madrugadas de aula e mais dez horas de estudo por dia. O resto foi dormir que não sou de ferro!!!

E isso é o que que realmente chamou de aproveitar nossos conhecimentos para acelerar nossas chances.

Conclusão

Então, o resultado disso tudo foi que eu passei no concurso da Caixa em 12º lugar no meu polo de classificação. E assim fui chamada já na primeira leva para assumir o cargo de técnica bancária. No mais, é importante saberem que eu não fui a única.

Os concursos de empresas públicas costumam ser mais fáceis e com muito mais vagas. Por isso se a pressa for sua parceira para a aprovação, pense em empresas públicas e prefeituras como possibilidade.

Para chegar lá você precisa se conhecer, descobrir o que move você vai ajudar muito. Saber como estuda e aprende melhor, quais fatores colaboram nisso e como melhorar e ampliar seus conhecimentos onde tem menos conhecimento.

E para isso tudo, nós ajudamos você aqui no Concursos, Passei.

E você, já se conhece o suficiente para passar com um fim de semana de estudo? Deixe seu comentário, dúvida e nos pergunte. A gente ensina como chegar lá!

One thought to “Passei no concurso da Caixa estudando apenas um fim de semana”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *